CULTO DE ENSINO - 27/03/2015

 

LIÇÃO 7 - As Setenta Semanas de Daniel

 

Introdução

 

De tudo o que já estudamos até agora, e com base em todos os textos bíblicos que fazem alguma referência ao final dos tempos, podemos fazer uma lista com os principais acontecimentos escatológicos apontados nas Escrituras:

  • Princípio das dores - sinais do fim
  • Grande Tribulação
  • Apostasia Final
  • Governo do Anticristo e o bloco de 10 nações
  • Arrebatamento da Igreja
  • 2ª Vinda de Jesus
  • Bodas do Cordeiro
  • Reino Milenar de Cristo
  • Restauração de Israel 
  • Paz no Oriente Médio
  • Ressurreição dos mortos
  • Tribunal de Cristo e Juízo Final
  • Destruição de Satanás - Inferno
  • Destruição da Terra
  • Novos Céus e Nova Terra

Todas as grandes polêmicas e incertezas diante desta lista consistem basicamente em duas questões: 1) trata-se de fatos literais ou simbólicos? 2) em que sequência estes fatos ocorrerão? Longe de nós tentar responder seguramente a estas questões, pois sabemos que muitas coisas estão envoltas de mistério, e nos foram deixadas na Bíblia como “pistas” para nos preparar para as coisas que virão.

Entretanto, um texto bastante utilizado na tentativa de compreender o máximo possível das revelações escatológicas é o de Daniel 9:25-27. Esta profecia é considerada por muitos como a chave de toda escatologia e pode ser a indicação de que as profecias serão literais, e pode também nos dar uma noção da ordem cronológica do fim dos tempos. Vamos compreender o que este texto diz.

 

O contexto histórico

Finda a supremacia babilônica e já sob domínio persa, pouco depois de ter sobrevivido à cova dos leões, e com mais de oitenta e cinco anos de idade, o profeta Daniel leu nas Escrituras que o cativeiro do povo de Israel duraria 70 anos (Jr 25:8-11). Este tempo foi estabelecido por Deus, como um juízo pelos anos sabáticos que o povo não observou desde o tempo dos juízes. Percebendo que estes 70 anos estavam chegando ao fim, Daniel se prostrou em oração diante do Senhor, suplicando que sua Palavra se cumprisse, que Ele perdoasse e restaurasse seu povo.

Em resposta a esta oração, Deus enviou o anjo Gabriel com a resposta. Gabriel é citado pelo nome outras 3 vezes na Bíblia: a primeira vez cerca de 11 anos atrás (no 3º ano do reinado de Belsazar, 551 a.C.) no capítulo 8 de Daniel, e as outras duas anunciando o nascimento de João Batista a Zacarias, e de Jesus a Maria.

A resposta de Deus a Daniel veio em forma profética. A restauração viria, mas somente depois de cumprido o tempo determinado para o povo e para Jerusalém.

 

A Profecia - Dn 9:24-27

1.  Setenta semanas estão decretadas sobre o povo de Israel e sua santa cidade (Jerusalém).

2.  São necessárias setenta semanas para: fazer cessar a transgressão, dar fim ao pecado, expiar a iniquidade, trazer a justiça eterna, selar a visão e a profecia, e ungir o santíssimo.

3.  Descrição destas setenta semanas, dividida em 3 partes (7 + 62 + 1):

  1. Início da contagem: decreto para restaurar Jerusalém. Houve dois decretos, neste sentido: um em 438 a.C., dado por Ciro e outro em 457 a.C., pelo rei Artaxerxes.
  2. 7 semanas mais 62 semanas - até o Ungido (O Messias Jesus). As primeiras 7 semanas referem-se à reconstrução da cidade, com seus muros e ruas, em tempos difíceis e angustiosos. Terminada toda a obra, começaria então a contagem das próximas 62 semanas, até o tempo de Jesus.
  3. Depois das 62 semanas: o Ungido seria “cortado”, eliminado (crucificação de Cristo), e o povo do príncipe que há de vir destruiria a cidade e o santuário (o que aconteceu em 70 d.C., através do Império Romano).
  4. Última semana - realização de uma aliança deste príncipe com muitos, e, na metade desta semana, ele fará cessar o sacrifício e virá o assolador (Mc 13:14  e  2Ts 1:4).

 

Temos um problema aqui, pois mediante os acontecimentos que se seguiram, a contagem não “bate”. Desde a saída do decreto até a vinda Jesus, passaram-se quase 500 anos e não apenas 69 semanas (1 ano e 4 meses). O que nos indica que não se trata da “nossa semana”, mas de algum outro período de tempo que precisamos descobrir qual é.

 

4.  Acontece que, na língua hebraica, a palavra aqui traduzida como semana significa “um período de sete”: shabua. No cap. 10:2 e 3, o termo se repete, seguido da descrição semana de dias, ou seja, Daniel especifica: três “períodos de sete” dias, tratando-se de 21 dias. Já no cap. 9, não há esta descrição, o que nos deixa a opção de deduzir que poderia ser um “período de sete” anos e não dias.

5.   Encontramos a expressão “semana de anos” ou “período de sete” anos, em Levítico 25:8, o que nos mostra que não se trata de algo inédito, mas um termo já conhecido entre o povo de Israel. Neste caso, as 69 semanas seriam 69 períodos de 7 anos, ou seja, 483 anos. Neste caso, a matemática se encaixa perfeitamente ao tempo histórico, comprovando tal significado. Independente da data inicial do decreto persa (445 a.C. ou 457 a.C.), o resultado é impressionantemente o mesmo, independente do método utilizado para o cálculo.

6.  Surge aí um novo problema: depois da crucificação de Jesus, haveria então apenas mais uma semana (7 anos) para que Jerusalém fosse destruída e todas as seis profecias descritas no vers. 24 acontecessem. O que sabemos que não aconteceu. Sete anos depois da morte e ressurreição de Jesus nenhum acontecimento significativo aconteceu que pudesse ser interpretado como o cumprimento da restauração pedido por Daniel. A única possibilidade plausível que foi encontrada até hoje para esta questão é que Deus teria parado o relógio profético quando deu início à era da graça. Estaríamos vivendo agora o tempo da igreja e, em algum momento do nosso calendário, a contagem da última semana voltará a correr.

7.  Na última semana (últimos sete anos das 70 semanas decretadas sobre Israel), além do acordo de paz que seria feito e depois quebrado três anos e meio depois, temos também pelo menos duas outras profecias que se encaixam neste tempo, reforçando esta teoria: Ap 11:2  e  Ap 13:5.

 

Conclusão

Se o cumprimento das primeiras 69 semanas desta profecia foi literal, muito provavelmente a última semana de anos (7 anos) também será. Em

Dentre inúmeras lições que temos nesta profecia de Daniel, quero encerrar esta reflexão lembrando que Deus respondeu a oração de Daniel porque ele era muito amado (9:22-23).  O propósito da nossa vida deve ser agradar o nosso Senhor, nos preparar para a sua vinda, e sermos achados “amados de Deus”. Qual o conceito que Deus tem de você? Qual sentimento você gera no coração de Deus? Ainda dá tempo de mudar o que precisa ser mudado e entregar a direção de sua vida ao Senhor. “Creia no Senhor Jesus Cristo e será salvo, tu e a tua casa.”

 

Prof. Márcia Rezende 
Bacharel em Teologia e Educação Religiosa 
Pastora na 3ª Igreja Batista de Marília 

LEIA TAMBÉM:

 

 

 


Enquete
    Enquete
Nosso novo SITE está no "forno". O que você mais gostaria de encontrar por aqui:




votar - ver resultados

    Mural

fernando: bom dia irmãos, fiquei por muitos dias e horas na internet buscando informações para entender e ter uma opinião formada em relação a crise politica que vivemos , cheguei a seguinte conclusão , não adianta sair as ruas pedir o fim da corrupção , fora A ou fora B , temos que sair sim , mas para clamar a DEUS sua misericórdia sobre nós pois tudo o que acontece está sob sua permissão , se as coisas estão difíceis é DEUS nos avisando , TEMOS QUE BUSCAR A MELHORA EM DEUS QUE SABE DO QUE REALMENTE PRECISAMOS , E NÃO EM HOMEM NENHUM , me recordo que uma vez saímos para clamar a DEUS nas entradas e saídas de nossa cidade , será que não está na hora de sairmos novamente em clamor a DEUS ??? ESSA CRISE É RESULTADO DE MUITA OBSTINAÇÃO GENERALIZADA VAMOS REFLETIR ??? VAMOS AGIR ??? VAMOS PARA RUA CLAMAR ??? ou vamos esperar achando que nós mesmos vamos resolver ???

Servo do Altissimo : Estava eu, olhando o site dessa igreja e dentro de mim surgiu um sentimento tão gostoso, senti saudade. Saudade de não estar mais tão perto, de nao estar mais servindo como antes, de não estar mais louvando, adorando e aprendendo mais sobre o Deus que tudo pode. Ah se eu pudesse faria tantas coisas diferente, falaria e teria outros atos para conservar e ampliar a distância entre eu e essa igreja, que por tanto tempo religou eu a Deus. Ahh mas como somos falhos, deixamos levar por coisas futéis, pequenas, coisas que nos tiram o foco, deixando a visão desfocada, assim saimos do caminho que nos leva a Salvação. Como ja previa o profeta, até os jovens cansam e caem. Mas irmãos, mantenha firme no Senhor, olhe para o alvo, olhe para o Snehor que é de onde vem o socorro, olhe para Deus e corra para os braços DELE, onde há força, onde a esperança nao acaba, Ele é o Senhor, o Senhor de Todas as coisas. Escolhi por um tempo vender os meus ministérios para Satanas, troquei as veste de principe, por veste de luto, veste sujas, troquei a liberdade por uma escravidão, mas ela, a escravidão nao foi eterna, pois o Senhor de todas as coisas vive para Sempre, e os que estão na mãos dele nunca sai de lá, sou a prova disso, quando o meu alvo deixou de ser Cristo, e quando meu caminho não levaria a Cristo sentia que meu caminho não era ali, me perguntava: Meu Deus onde estou? Porque estou aqui? Oh Deus me ajuda, mas ele estava ali, de braços abertos para me abraçar e sorrir para mim. Oh Deus nunca me Deixou, o Espirto Santo começou a incomodar meu coraçao, podia ouvir filho, seu lugar não é aqui. Ahh como ele é Gentil, hoje voltei para a Casa para ser Casa novamente, casa do Senhor. Casa que ajuda a me ligar com Deus, me ensina, me leva a adorar o Deus, o único Deus, ALELUIA. Amada Igreja mantenha o foco em Cristo, amados pastores, vocês são um canal de benção, para todos nos, ovelhas do rebanho de Cristo. É um prazer fazer parte desse corpo, corpo únido, corpo sadável. Sendo igreja.

ENTRELÍDERES: Terça, dia 19 de Janeiro, teremos nosso primeiro encontro de 2016. Contamos com a presença de todos que ocupam alguma função de liderança na igreja. Será um tempo muito importante de comunhão, oração e compartilhamento. Não percam!

Alexandre - Rede Ministerial: Alexandre, recebemos seu recado e enviamos o material solicitado por email, mas o email voltou. Favor reenviar endereço para entrarmos em contato. Deus abençoe.

fernando: sim estamos vivendo os ultimos dias do governo humano na terra.A cada dia que se passa vemos a falência dos pilares humanos : Político , comércio , e religioso. Por isso é muito importante sabermos o que nosso Deus tem reservados p os que creem nele de verdade. (Mateus 6:10)=venha o teu reino , seja feita a tua vontade , assim na terra como no céu. (Daniel 2:44)=na época desses reis ,o Deus dos céus estabelecerá um reino que jamais será destruído e que nunca será dominado por nenhum outro povo ,destruirá todos os reinos daqueles reis e os exterminará , mas esse reino durará para sempre. (salmo 72:12)= Pois ele liberta os pobres que pede por socorro,os oprimidos que não têm quem os ajude.(Isaías 33:24)= Nenhum morador de Sião dirá: "estou doente!" E os pecados dos que ali habitam serão perdoados.(João 5:28,29)=Não fiquem admirados com isto,pois está chegando a hora em que todos que estiverem nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão;os que fizeram o bem ressuscitarão para a vida, e os que fizeram o mal ressuscitarão para serem condenados. O entendimento da palavra de Deus nos ajuda a entender o que acontece hoje e o que está por vir....Deus nos abênçoe a todos.

Deixe seu recado

    SIGA NO TWITER
 Jesus, em todos os lugares, de todas as formas... Jesus, everywhere, in all forms... Jesús, por todas partes, en todas sus formas... Gèsus, partout, sous toutes ses formes... Yesu, bisika nionso, na ba ndenge nionso... Yisu, bifulu biakulu, ye mu mpila zakulu...